DESPORTO

SASUM procuram obter certificação mundial FISU Healthy Campus

DCIM100MEDIADJI_0005.JPG
257views

Serviços procuram mais um Selo de Qualidade, desta vez, na área do desporto.

Os Serviços de Ação Social da Universidade do Minho (SASUM) aderiram ao programa de certificação mundial “FISU Healthy Campus”, evidenciando a centralidade que é atribuída ao desporto na UMinho como parte essencial de um modelo de educação integral.

Com a nomeação, no passado mês de outubro, de uma equipa responsável por todo o processo, os Serviços procuram mais um Selo de Qualidade, desta vez, na área do desporto.

O programa de certificação FISU Healthy Campus, concebido pela Federação Internacional de Desporto Universitário (FISU), tem como objetivo primordial, evidenciar a importância da atividade física como meio de promoção de saúde física/ mental, bem-estar e qualidade de vida.

Para além disto, e como se não fosse por si só de extrema importância, este conceito visa ainda a implementação de programas operacionais nas áreas do desporto e atividade física como influenciadores nas áreas da saúde mental e social, da nutrição, da sustentabilidade e da responsabilidade social.

Segundo o próprio responsável do Departamento de Desporto e Cultura do SASUM, Carlos Videira, a candidatura ao programa, pretende “evidenciar o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido de algum tempo a esta parte”.

Nesta fase inicial, a equipa de trabalho dos SASUM “tem feito várias reuniões no sentido de recolher evidências do que tem vindo a ser feito ao longo dos últimos três anos e delinear um plano estratégico para os próximos anos com iniciativas relevantes a vários níveis, enquadrando a certificação do Healthy Campus como um elemento central da atividade dos SASUM”, referiu.

O responsável adianta também que a fim de assegurar a colaboração entre os serviços da Universidade, será criada “uma Comissão de Acompanhamento transversal e multidisciplinar, responsável pela implementação e melhoria da abordagem ao Healthy Campus. A Comissão de Acompanhamento deverá incluir, pelo menos, um representante dos estudantes, dos funcionários, das Escolas/Institutos e da Reitoria e deverá reunir, pelo menos, uma vez por ano”.

A avaliação das Instituições de Ensino Superior é feita em ciclos de dois anos, em que o primeiro consiste numa autoavaliação e o segundo numa auditoria local. A avaliação é feita através de 100 critérios que devem ser respondidos com evidências por parte das Instituições de Ensino Superior na Plataforma Digital:

https://fisuhealthycampus.sport/

A avaliação é diferenciada em cinco níveis de desempenho para atribuição do Selo de Qualidade (Instituição Certificada 40≤50; Instituição Bronze 51≤65; Instituição Prata 66≤80; Instituição Ouro 81≤90 e Instituição Platina 91≤100).

Carlos Videira acredita que a certificação será uma realidade: “Estou certo que conseguiremos a certificação em breve. O nosso processo de certificação deverá ser submetido até abril e, a partir dessa data, a FISU terá um mês para se pronunciar sobre o mesmo. Estamos certos que seremos certificados, ainda que numa primeira fase não sejam atribuídos níveis de certificação. Isso só acontecerá no segundo ano do programa. Independentemente disso, estamos a trabalhar no sentido de alcançar, desde já, a melhor classificação possível. No final do segundo ano de certificação, gostaríamos de atingir a Certificação Platina que é a certificação máxima do Healthy Campus”.

A proposta da FISU segue as recomendações dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável 2030 das Nações Unidas. O desenvolvimento sustentável, a saúde e uma vida ativa, estão entre as questões mais críticas que a sociedade global enfrenta e que devem aumentar a sua importância para as atuais e futuras gerações.

O Healthy Campus torna-se desta forma num instrumento facilitador da sinergia entre saúde pública e desenvolvimento sustentável, com a preocupação em criar ambientes de trabalho, aprendizagem e vida saudáveis e sustentáveis para toda a comunidade universitária e visitantes.

Fonte e Imagem: SASUM (Universidade do Minho)